visite nosso tumblr!

http://fashionpuc.tumblr.com/

 

foto: desfile AGENTE COSTURA

Anúncios

3ª Semana de moda de curitiba – OUT

Depois das boas colocações, chegou a hora de falarmos das nossas críticas.

Comecemos:

OUT1: OS ATRASOS

Foram muitos, cansativos e assíduos. Entendemos que num evento de grande porte eles sejam quase que impossíveis de se evitar, mas… extrapolou!

Seguir o cronograma do dia se tornava inútil em certa altura – “Eu sei qual é a próxima atração, mas quando isso acontecerá, se o horário previsto já passou há uma hora?” , “Que demora!” e “Que horas vai começar?” – foram frases que ouvimos com muita frequência durante os quatro dias de desfiles.

Um dos desfiles, do Erre Nove, começou com cerca de uma hora e meia de atraso, previsto para as 21h, só foi liberada a entrada da imprensa depois das 22h.

OUT 2: ESTRUTURA PRA IMPRENSA

1. Acabaram os crachás de credenciais. Você pode pegar essa pulseira, temporariamente, e ter problemas em todos os outros dias de evento, se quiser …

Conseguimos credencial  para nossa equipe, mas algumas das alunas da PUCPR que iriam desfilar, inclusive, não tiveram a mesma sorte.

2. A internet não está disponível, mais uma vez. (Sem postagem simultânea nos 3 primeiros dias, porque não tínhamos acesso a internet)

3. Não temos tomada. ( Não podíamos recarregar os equipamentos, todos dependem de bateria, câmeras, notebook…)

4. Vocês podem se acomodar em qualquer lugar – lugar qualquer.

Eis as circunstâncias dos profissionais que cobriram a Semana de Moda de Curitiba.

OUT 3: ALIMENTAÇÃO

O quesito, em comparação as outras edições, melhorou. Havia um café dentro do espaço do evento, de fato. Mas que muito deixava a desejar: pouca variedade, pouca organização (“o cartão falhou”, “estamos sem nenhum salgado”, “estamos sem a comanda”, “aguarde”, “aguarde”, “aguarde”).

A qualidade dos produtos não é a questão, pelo contrário, o que está sendo questionado é a praticidade e a eficiência de um serviço que é essencial.

OUT 4: LUZES DA PASSARELA 2

Sim, nós entendemos que o espaço é diferente da passarela 1, que a proporção das apresentações do espaço 2 são diferentes da que acontece no principal. Mas, imaginamos que isso não seja suficientemente crucial na hora de se montar a iluminação do ambiente. A questão é: o lugar era ótimo!

A única iluminação disponível eram dois pequenos holofotes em um dos pontos da passarela, a foto acima é o resultado da falta de luz, sem uso de flash ou photoshop.

A ideia dos puffs, da interatividade, a forma de cruz, a informalidade do espaço, tudo muito louvável. A discussão da equipe do fashionpuc tem como único ponto a iluminação!

OUT5: ÁUDIO

Um microfone que não funciona aqui. Um áudio mal passado lá… O amadorismo, a falta de organização e a infelicidade da equipe de áudio foi evidente. Particularidades – ora gritantes (como no caso do desfile da marca NovoLouvre, em que um dos microfones da banda Goo Goes Laves não funcionou), ora modestas. Mas, que fazem, sempre, a diferença!

OUT 6: DESFILE DA MARCA BEATNIK

Foto resumo: as bolsas são o foco?

O que aconteceu: A marca Beatnik apresentou um desfile de suas bolsas na Semana de Moda de Curitiba, o próprio nome dá a ideia do fora de padrão, já que o Beatnik foi um movimento dos anos 60 em que jovens passavam semanas na boemia e diziam reinventar uma nova forma de escrita e arte, fora dos padrões da época, verdade também que eram todos jovens de classe média entediados com a vida.

Entendemos a proposta, a apresentação da marca deu sua explicação e as modelos que desfilaram não eram as de costume e sim meninas nem tão altas, nem tão magras, nem tão bonitas. Ótimo também, estilo é feito de pessoas comuns.

Até aí tudo bem, fazia sentido. Mas depois de alguns minutos de espera, em que o público aguardava apenas a típica volta dos modelos para os aplausos, a divisória de entrada e saída se abriu mais uma vez e vários atores apareceram de lá fazendo uma “cena teatral”, se é que assim podemos chamar.

Nessa cena existiram, beijos, tapas, encontros e desencontros e nenhuma bolsa. Lembrando que era um desfile de moda, de uma marca de bolsas.

Para assistir, clique aqui.

Esse assunto, no entanto, está começando a ficar velho, fotos do beijo gay estão espalhadas por toda a internet, se a ideia era chocar, teve sucesso. Mas e a marca? E as bolsas?

Todos entendemos que o mundo da moda precisa inovar, apoiamos essa ideia.
E o preconceito precisa ser quebrado, no entanto vulgaridade nunca foi, nem nunca será a resposta.
Podemos tomar como exemplo o próprio cinema brasileiro, que em seu início usava e abusava de cenas de sexo para ganhar espectadores, mas com os anos veio a qualidade nas produções nacionais e reparem, as cenas de volúpia começaram a diminuir, senão desaparecer.

Não há outra forma de interpretar o acontecimento, colocar em um desfile dentro da Semana de Moda de Curitiba atores que se dispõe interpretar cenas pífias, mal elaboradas e sem nenhum sentido aparente que não chamar atenção, só dá a entender que a cena de moda curitibana não tem qualidade e nem o que mostrar.
É essa a imagem que queremos passar para o restante do país?

Acreditamos na moda que Curitiba e o Paraná produzem! Sabemos que existe muito crescimento pela frente! Valorizamos os esforços de todos os participantes do evento e daqueles que se dedicam para a “nossa moda”.
Quem critica não é indiferente. O crítico interage, assume posição ativa, se relaciona, entra em contato e faz parte! E é exatamente dessa maneira que o fashionpuc se coloca: fazendo parte!
Parabéns aos envolvidos! A 3ª edição da Semana de Moda de Curitiba foi memorável!

In & Out

A 3ª Semana de Moda de Curitiba acabou, e você acompanhou conosco os grandes acontecimentos….

Chegou a hora de avaliarmos com detalhes como foi, por isso vamos pensar nos IN e nos OUT, tudo que deu muito certo e o que foi péssimo.

Comecemos com as boas notícias.

IN1: O LOCAL

Este ano a organização do evento escolheu o Museu Oscar Niemeyer, o famoso MON, para realização. Temos que aplaudir a escolha, além de ser um ponto famoso no turismo curitibano e parada obrigatória para muita gente aos domingos, a beleza do local é inestimável. E a escolha combinou perfeitamente com a proposta da semana, que comentaremos a seguir.

IN2: A PROPOSTA

Durante a programação tivemos, além dos desfiles, várias performances e apresentações de bandas. O palco montado perto da passarela 2 recebeu bandas curitibanas que puderam expor seu trabalho, mesmo que por um curto espaço de tempo, a ideia de interatividade também é louvável.

A própria passarela 2 trazia isso consigo, foram dispostos poofs quadrados, nos quais o público podia se sentar, as modelos desfilavam por entre eles trazendo grande proximidade.

Não podemos esquecer de comentar sobre o LABMODA em si, que é uma iniciativa genial, evidente que o projeto é um item instríscico a tudo que estamos falando já que sem ele nada disso existiria!

Foi distribuída uma revista oficial com parte da programação e um pequeno resumo das marcas que iriam desfilar, a revista também merece elogios.

IN3: OS ESTANDES

Foram dispostas as marcas dos desfiles em estandes, que foram locados pelas mesmas, o que deu a possibilidade de ver um desfile e depois dele comprar a sua peça preferida, ótimo não?!

IN4: Passarela 2

Tivemos duas passarelas, e a passarela secundária foi palco para estreantes no mundo da moda. Uma ótima oportunidade para saber o que em breve estará no mercado, e para os próprios estudantes e entusiastas de moda mostrassem seu trabalho.

Destaque para nossas queridas alunas da PUCPR de Design de Moda, que apresentaram uma coleção inspirada nas cidades e no grafite, uma paisagem urbana em peças conceituais.

IN5: OS DESFILES

A equipe fashionpuc selecionou os seguintes desfiles como os mais expressivos e interessantes da Semana: NovoLouvre, Chocolateria, Soraya, Renata Luciana, Canalli e Agente Costura.

Novo Louvre, dia 19

O desfile do Novo Louvre foi o de abertura da
semana de moda na passarela 1.


Os meninos da banda GO GOes Laves participaram cantando,
além das peças trazerem um inverno claro, com bege, azul bebê contrapondo
aos marrons e pretos, aprensentou um desfile alto astral.


As modelos interagiram com a banda que cantou e desfilou, foi um momento
bom de ver e estar presente, vontade de ir para a passarela e gritar “JUmp! ” não faltou.

Chocolateria, dia 19

A Chocolateria também fez um ótimo trabalho, com peças tingidas à pinhão trouxe todo o espírito paranaense.

A marca é de 2010, e esse ano trouxe o Ballet Moderno como inspiração para as peças, que apareceram em tons terracota, azul, cinza e coral.  A cor choconude foi a surpresa, foi obtida exatamente através do tingimento natural com cacau.

Soraya da Piedade, dia 20

A marca que leva o nome da estilista se apresentou com a coleção de despedida ao Brasil: Mulheres, o sexo forte. Preferida por unanimidade na equipe, a coleção trouxe sobriedade, elegância e um indiscutível bom gosto.

O desfile foi produzido por Victor Sálvaro, falaremos mais de suas produções, no entanto essa foi a melhor das 3 que aconteceram na SMCWB.

Leia tudo sobre o desfile aqui.

Canalli, dia 22

A marca Canalli também apresentou um bom desfile, sem exageros e com ótima disposição das peças e das modelos. O tema da Co-fusão também representou bem a marca e a proposta.

Como comentado anteriormente a ideia da estilista Natália em usar apenas uma caixa de modelagem com variações nas mangas e comprimentos de saia e vestido foi inteligentíssima, veja o post aqui.

Renata Luciana, dia 22

A proposta da estilista é fazer roupas de guarda-chuvas reciclados, participante desde a primeira edição da Semana de Moda de Curitiba a grife foi aplaudida de pé, com todo merecimento. O nome dessa coleção é: Nietzsche Dá-nos o Super Homem! Coleção para tempos difíceis!

As peças eram todas pretas e as armações das sombrinhas foram usadas para fazer saias com volumes e acessórios de complemento.

O desfile começou e terminou com vídeos mostrando embarque e desembarque de passageiros em terminais de ônibus, e a própria estilista, Renata, dentro de um deles. Isso trouxe o ar urbano que marca tem, foi um desfile belíssimo, com a ideia sustentável intrínseca.

Agente Costura, dia 22

Agente Costura fechou a semana de moda, com um desfile interativo!
Lisa Simpson costurou as roupas das modelos em sua máquina pink enquanto uma banda fazia sua performance. A proposta é dar nova vida à peças garimpadas em brechós. Foi incrível!

Assista ao vídeo da performance aqui.

 

Em breve postamos os OUT da semana de moda, não perca!

Co-fusão

O desfile da marca Canalli foi o de encerramento na Passarela 1.

Ao som da banda européia Beirut as criações características da marca foram apresentadas, há 28 anos no mercado Canalli trouxe mais uma vez belíssimas peças com misturas de tecidos, miçangas, aplicações…. Tudo que faz a marca ser o que é, reconhecida e adorada.

Cachecóis de lã remeteram ao clima invernal, em cores escuras.

As roupas usadas pelas modelos também eram de design das estilistas Natália e Ivone Canalli, em que apenas uma caixa de modelagem foi usada e as mudanças vinham pelos comprimentos de manga e saia.


Carteiras e bolsas de todos os tamanhos como também colares e um arranjo de cabelo seguiam a ideia da Co-fusão, uma mistura de cores, tecidos e estilos que marca a nova coleção.

A bolsa de viagem com aplicações é uma das mais desejadas.

Veja a entrevista da estilista Natália logo após o desfile aqui.

Fotografia colaborativa: Letícia da Rosa