O caminho é longo, é preciso começar.

Por Iara Fonseca

Poder fazer cursos fora da faculdade abre seu olhar para ideias e pensamentos diferentes dos que você costuma sempre ter.

Fui para São Paulo no começo de Julho para um curso com a Gloria Coelho sobre “Como montar uma coleção de moda”, na Instituição Escola São Paulo.

Confesso que teria sido mais envolvente se fizesse o curso quando iniciei o curso de moda, pois já tive esse desenvolvimento na faculdade. Mas estar em outro lugar, ver pessoas novas atiça essa vontade de continuar no caminho que escolhi.

A estilista Gloria Coelho era melhor do que esperava, tranquila, excêntrica, simpática. Contou seu segredos, vontades e seu ponto de vista sobre esse mundo maluco, nos dizendo que “ainda há tempo de desistir, a moda é uma loucura, e é preciso estar pronta”.


Se inspirando muito em livros e filmes, gosta de ter uma gama grande de temas dentro da sua coleção, fazendo esses serem transformados em elementos sutis em suas tão futuristas coleções. Diz que não adianta deixar as ideias na cabeça!

Foto: reprodução

Foto: reprodução

É preciso fazer, tentar… É assim que começa. Tendo hoje uma empresa com mais ou menos 170 pessoas, Gloria continua lutando nesse mundo aonde a criação vem junto de uma boa equipe e muita organização.

Cada vez é possível ver que não é só de criação que uma boa marca se forma é preciso ter garra, acreditar em suas ideias e confiar no seu estilo, uma hora seus sonhos serão vividos!

Foto: reprodução

Foto: reprodução

Garimpo!

O garimpo durante muitos anos foi uma atividade reservada aos mineradores, que através da exploração mineral procuravam por metais preciosos.

Isso mudou com a popularização dos brechós, bazares, antiquários e sebos pelo mundo. Agora, com uma boa exploração é possível encontrar peças de roupas, sapatos, acessórios, livros e móveis por um preço bem menor e em ótimas condições.

Há quem não goste da prática, ache que traz “más energias”, pensamento tão retrógrado quanto acreditar que espelhos e fotografias capturam sua alma e a prendem.

No último fim de semana o Fashion Puc foi até dois locais onde aconteciam eventos propícios a um bom garimpo.

Começamos pela Endossa, loja colaborativa localizada na Vicente de Machado, onde a Karla Pereira, estilista da Hype e dona do Garimpo Vintage, fez uma super liquidação. Todas as peças do Garimpo Vintage estavam por apenas R$ 10,00.

Como a Karla disse, outro benefício é a sustentabilidade por trás do garimpo. Muitas peças são reaproveitadas, customizadas e ganham cara nova.

Lá encontramos vestidos, calças, shorts, sapatos, armações de óculos… Muitas peças, todas bem cuidadas, em ótimo estado e vintage!

De lá fomos para o Mega Bazar Trapos de Luxo, Sundae & Animais sem Teto, que aconteceu no Trapos de Luxo, localizado na Visconde de Guarapuava.

As peças variavam muito de preços,  passeando pelas araras era possível encontrar vestidos de R$8,00 e de R$50,00. Além de muitos acessórios, como sapatos e óculos.

Além dos acessórios e roupas, também existiam peças de decoração e mobília.

As três instituição que promoveram o bazar direcionaram uma porcentagem do dinheiro arrecadado para ajudar os animaizinhos sem lar… Então, além de aproveitar as novidades vintage você ainda podia contribuir com o Animais sem Teto.

O projeto surgiu em 2007, tem como objetivo resgatar cães e gatos que sofreram agressões em seus lares ou que são encontrados na rua.

Para ajudar:

  • Precisamos de doação de ração , remédios , cobertores , casinhas , além de usados (roupas, sapatos , objs para casa , etc) para venda em nossos bazares Contato :animais_semteto@yahoo.com.br
  • Ajuda Financeira Caixa Economica Federal Agencia : 1001 Conta 9527-3 Operação 013 (poupança)

Se está a procura de companheiro que você não precise  se preocupar se irá ou não ligar no dia seguinte, porque estará sempre presente, conheça mais sobre o Animais sem Teto e adote! Acesse o facebook deles aqui.

Esses filhotes lindinhos estavam lá na feira, todos vacinados esperando por um lar:

Não deixe de acompanhar o Fashion Puc, em breve falaremos mais sobre o garimpo!

Presidenta Dilma, precisamos falar com você! -PR

Impostos.

Essa é a palavra que mais atrasa e assusta qualquer consumidor brasileiro de exportações. Qualquer produto comprado internacionalmente chega com mais de 50% de seu valor revertido em impostos.

O alto valor tributário em importações tem uma face prejudicial para aqueles que precisam de matéria prima não produzida aqui, estilistas que dependem de  outros países para a produção de suas peças sofrem com este gasto.

 

O resultado é que o produto final de um estilista brasileiro acaba saindo pelo mesmo preço, ou muitas vezes mais caro, que de uma marca internacional.

Solução para isso seria a produção destes tecidos aqui, para isso seria necessário não apenas os equipamentos utilizados, máquinas de costura, tecelagem, como também mão de obra especializada.

A indústria da moda é segunda maior geradora de empregos no Brasil. São muitos envolvidos para que chegue até o consumidor o novo casaco da coleção inverno. Desde o estilista, suas costureiras, aquele que cultiva algodão e o colhe, fábricas de tecido, as transportadoras, produtores, os próprio lojistas, as belas modelos, maquiadores e cabeleireiros, a lista é enorme… Todos eles sofrem com a falta de preocupação e incentivo por parte do Governo Federal.

A importação de matéria prima é apenas um dos problemas, faltam incentivos à industria.

É essencial a criação de cursos que sejam ofertados publicamente para melhoria de mão de obra (mais uma vez falhas nos programas direcionados
à edução), para que esta seja especializada e com qualidade superior.

Não há compreensão da importância de grandes eventos de moda, nem mesmo apoio para que esses se realizem e divulguem o trabalho nacional.

Já existem incentivos e apoios direcionados a cultura, há a mesma necessidade nesse setor.O Brasil precisa estar preparado para concorrer com outros países, se superar.

Conscientes disso vários estilistas se uniram na última edição da São Paulo Fashion Week juntamente com Paulo Borges, CEO da Luminosidade, empresa organizadora do SPFW, iniciando uma campanha “Presidente Dilma, precisamos falar com você! A moda Agradece”.

A manifestação tem como objetivo a criação de novas políticas que auxiliem os produtores de moda nacionais. Algo já existente no país,  um exemplo desses auxílios são os benefícios cedidos as empresas automobilísticas.

A redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para carros teve uma baixa de cerca de 7% em seu valor final segundo Sindicato do Comércio Varejista, o que aumentou em 22% a venda de carros. Vale lembrar que a indústria automobilística não gera tantos empregos quanto a da moda, é preciso entender quais as maiores dificuldades enfrentadas, como foi feito com as indústrias de carros, e planejar soluções eficientes.

Durante o último dia de desfiles do 6º Paraná Business Collection os estilistas paranaenses aderiram a campanha, usando a mesma camiseta no fim dos desfiles.

A Moda brasileira, geradora de empregos, construtora de tendências, composta por pessoas conscientes,  tem muito há crescer e se desenvolver. Para isso é necessário incentivo nacional por parte do governo e dos consumidores, que deem preferência as marcas produzidas aqui.

Precisamos de uma população brasileira que não seja nacionalista apenas nos jogos de futebol, mas que encoraje seu país em todas as suas produções. Também precisamos de um governo que realmente se importe com as necessidades de seus contribuintes.

E que os produtores da moda nacional continuem se unindo para repensar a forma de produção e viabilização de seu produto, valorizando todas as áreas envolvidas do setor que são brasileiras, para que estas sejam as consumidas.