As séries da minha vida

Reportagem: Bruna Morais

Edição: Andressa Stival

Quem gosta de moda está sempre “de olho” nos figurinos das suas séries preferidas. Aliás, muitas delas estão se destacando não só pela história, mas também pelas roupas dos personagens.

Por isso, nós fizemos uma coletânea de séries incríveis que merecem destaque por seus figurinos.

Sex and the City

Carrie, Charlotte, Miranda e Samantha deram vida a uns dos seriados que mais agitaram o mundo da moda. Com figurinos assinados por Patrícia Field, as seis temporadas retrataram a vida de quatro mulheres de meia idade.

Imagem

Foto: Divulgação

Imagem

Foto: Divulgação

Imagem

Foto: Divulgação

Gossip Girl

Lançado em 2007, teve seis temporadas e retratou a vida dos estudantes do Upper East Side. Assim como Sex and the City, passou-se em New York e foi MUITO reconhecida por seus figurinos. As primeiras temporadas trabalhavam com looks mais jovens, porém, com o avanço dos episódios, os figurinos passaram a ser mais sofisticados e adultos.

Imagem

Foto: Divulgação

Imagem

Foto: Divulgação

Imagem

Foto: Divulgação

Pretty Little Liars

Segundos os fãs da série, PLL é uma mistura de Gossip Girl com “Eu seio que vocês fizeram no verão passado”. O cenário da história é Rosewood, na Pensilvânia, e “contorce” o estômago de quem assiste com tanto suspense. Apesar do enredo, a série trabalha cada personagem e sua personalidade, indo do clássico ao esportivo sem medo. Além de serem peças simples e de boas composições, os figurinos são jovens e podem ser adquiridos com mais facilidades que os de Gossip Girl e Sex and the City.

Imagem

Foto: Divulgação

Imagem

Foto: Divulgação

Imagem

Foto: Divulgação

MadMen

A série se passa em 1960 em uma agência de publicidade em New York. Mad Man tem sido largamente elogiada pela crítica, pela história original, atuação e, é claro, pelo figurino. Tão elogiada que a marca Banana Republic criou uma coleção inspirada na série.

Imagem

Foto: Divulgação

Imagem

Foto: Divulgação

Ugly Betty

Com representações bem caricatas, Ugly Betty conta a história de Betty Suarez, uma latina que trabalha em uma revista de moda nos Estados Unidos. A comédia,que retrata o glamuroso mundo da moda, terminou em 2010.

Imagem

Foto: Divulgação

Imagem

Foto: Divulgação

ThaCarrieDiaries

A série é baseada na vida da personagem de Sex And The City, CarrieBradshaw,em 1984. Tem figurinos da época, porém com um toque moderno e jovem.

Imagem

Foto: Divulgação

Imagem

Foto: Divulgação

Bata de Renda em Guipir

 Reportagem: Stephany Hübbe

1

Essa peça primavera/verão vem conquistando cada vez mais seu lugar no armário das mulheres. Isso porque além de ser confortável traz um toque romântico e simples  ao look.

Por ser uma peça leve é adequada à vários estilos e situações. Sendo usada tanto com roupas mais elaborados, como calça e uma jaqueta, quanto com apenas um shorts tornando o look mais básico e prático.

2

A tendência vem sendo aderida também por ser uma peça mais folgada e de fácil uso.

Tem dúvidas de onde encontrar essa peça para vender?

Dona Morena R$ 130.00

Aliexpress  US$ 12.10

Mercado Livre R$ 69.99

Bazar de Moda PUCPR

  Reportagem: Daniel Souza

Fotografia: Ana Sanches 

No último domingo, dia 06 de outubro, aconteceu o Bazar de Moda dos alunos do curso de Design de Moda da PUCPR na Galeria Lúdica. O Bazar teve o intuito de arrecadar fundos para à abertura da empresa júnior de moda. O evento contou com a participação dos alunos de moda que customizavam as roupas e atendiam as pessoas interessadas nos achados do Bazar.

2

4

1

5

Um dos itens que mais chamou a atenção do público, de forma geral, foi o lindíssimo chapéu vintage da Prada que ainda possui sua caixa original.

3

Os participantes do evento chamaram a atenção por seus looks.

Gustavo Francesconi

Gustavo Francesconi

Maria Cecília Westphalen

Maria Cecília Westphalen

Mari Leal

Mari Leal

Fashion Week

Reportagem: Bruna Morais

As cidades de Paris, New York, Milão e Londres comportam as maiores semanas de moda do mundo.  Juntas, movem a indústria que arrecada milhões a cada semestre, além de ditar as tendências para a próxima estação.

Imagem

Foto: AP Imagens

 Desfile de abertura do PFW 2014

As grifes escolhidas para participar do evento vem do mundo todo, desde o Líbano, com o deslumbrante estilista Elie Saab, até os clássicos Louis Vuitton e Chanel. Com tanta gente “poderosa”, é claro que para um estilista em inicio de carreira, chegar a expor seu trabalho em um desses eventos é o topo do sucesso. Porém, chegar à elite da moda não é nada fácil: basta ler um pouco sobre a história dessas grifes e acompanhar uma semana da moda para perceber o quanto esses estilistas trabalham.

Imagem

Foto: FOTOSITE

Desfile de verão do estilista Elie Saab no PFW 2014

 O Paris Fashion Week está enchendo as ruas da capital Francesa desde o dia 24 de Setembro e a cada desfile há uma nova surpresa. Dentre as coleções já apresentadas, estão muitos bordados românticos, tribalismo chique e transparência. Houve também um protesto das ativistas do grupo “ Femen”,  no desfile da grife  Nina Ricci.

Imagem

Foto: AP Imagens

 

Line-up

Fique por dentre dos últimos desfiles da Semana de moda de Paris:

1/10, 3ª-feira
4h30 Fatima Lopes
5h30 Chanel
6h30 Agnès B.
7h30 Jean Charles de Castelbajac
8h30 Valentin Yudashkin
9h30 Valentino
10h30 Junko Shimada
11h30 Iris Van Herpen
12h30 Shiatzy Chen
13h30 Paul & Joe
14h30 Alexander McQueen

2/10, 4ª-feira
5h Louis Vuitton
6h Vionnet
7h Moncler Gamme Rouge
8h Masha Ma
9h Miu Miu
10h Zadig & Voltaire
11h30 Hermés
12h Lie Sang Bong

Vogue Fashion’s Night Out

Reportagem: Camila Costa 

Neste mês Curitiba foi uma das capitais brasileiras privilegiadas com o evento de moda Vogue Fashion’s Night Out, criado em 2009 nos Estados Unidos, pela Diretora Artística da vogue Anna Wintour, conhecida também por repetir roupas em eventos sem medo nenhum de ser feliz. O evento tem o objetivo de modificar as vendas, dando a novas coleções uma inovação para melhor conforto e estimulo do cliente, transformando o ato da procura e da compra em uma experiência prazerosa, cativando-o a voltar às compras.

O Shopping Muller foi o anfitrião desta festa que contou com a participação do Diretor de Moda da Revista Vogue Giovanni Frasson, o colunista Bruno Astuto, a blogueira Camila Coutinho e o ator Rodrigo Simas, entre outros nomes da moda. O evento já percorreu mais de 19 países e pela primeira vez saiu do eixo Rio de Janeiro – São Paulo.

O Workshop com Giovanni Frasson sobre as Tendências do Verão 2014 foi exclusivo para as estudantes de moda de Curitiba. Frasson começou sua apresentação com uma cronologia da moda, explicou que na década de 80 a moda era sinônimo de consumo. Na década de 90, moda era marketing, em 2000 a moda era imagem e atualmente, em nossa década, a moda é o individualismo.

Individualismo, que segundo Frasson irá refletir na moda Verão 2013/2014, para ele esta temporada será a dos opostos, completa ainda que o Street Style é a nova influência para as passarelas. Confira alguns exemplos de oposições para este Verão, segundo Giovanni Frasson.

Passarela

HIP HOP                                      X                      PUNK

HIP HOP X PUNK

Street Style

HIP HOP                             X                   PUNK

HIP HOP X PUNK

Passarela

OVERSIZE               x JUSTO

OVERSIZE x JUSTO

Street Style

OVERSIZE                               X    JUSTO

OVERSIZE X JUSTO

“Cada pessoa tem um estilo diferente. Seja você, seja autentico. Quanto mais você colocar um “dedo seu” em seu visual, mais interessante fica o look.”

Giovanni Frasson. 

 

 

 

 

O exército da PRADA

                                                                                                                  Reportagem: Bruna Morais    Edição: Daniel Souza

Logo: divulgação

Logo: divulgação

A grife italiana, fundada em 1913, detém um dos maiores impérios da moda que já se viu na história. Na época de seu lançamento trabalhava apenas com acessórios de luxo, como malas de viajem e bolsas, mas com o passar do tempo foi construindo peças que deram vida às grandes coleções que faturam hoje cerca de 3,2 bilhões de euros por ano.

Os irmãos Mario e Martino Prada, fundadores da marca, não admitiam que mulheres se envolvessem nos negócios da família, porém foi a filha de Mario, Luisa Prada, quem comandou a grife por quase 20 anos e é a neta dele, Miuccia Prada, quem desenha as coleções até hoje. Além disso, Miuccia trouxe a grife o que ela mais precisava: Ousadia. Ousadia estampada nas campanhas publicitárias, nas peças, na arquitetura das lojas e na identidade da marca.

prada2

Miuccia Prada estilista da grife

A Prada já vestiu desde o Papa – nesse caso calçou-o – até o Diabo, e diante de tudo isso só ganhou no quesito status, chegando ao ponto da editora da Vogue americana, Anna Wintour, declarar “PRADA é o único motivo para alguém assistir à temporada de moda em Milão”.

Com exatamente cem anos de vida a grife têm mais que histórias para contar, têm em cada bolsa e sapato, um pedaço da moda que percorre o mundo, enchendo os olhos de seus admiradores.

E é claro não podemos deixar de lembrar que nesse ano Curitiba ganha uma filial da loja no recém-inaugurado Shopping Pátio Batel.

Foto: divulgação

Foto: divulgação

Urbana Moda arte

Reportagem: Bruna Morais

Fotografia: Camila Costa                                                                                                    

Edição: Daniel Souza

O último dia da feira de profissões da PUC ocorreu no sábado (10), e contou com o desfile, Urbana Moda Arte, das alunas de Design de Moda da universidade. Através de um concurso desenvolvido pela própria PUC, as alunas tiveram a oportunidade de expor o seu talento na semana de moda de Curitiba, e agora as peças retornam ao ambiente acadêmico em uma exposição aos futuros calouros. As peças que compuseram o desfile foram inspiradas em paisagens urbanas, inicialmente foram produzidas em algodão e depois sofreram o processo de grafite como uma interferência urbana.

Mari Leal e sua criação.

Mari Leal e sua criação.

 Segundo a estilista Mari Leal (23) a parte da frente da peça, é mais natural e quando a modelo vira de costas, o detalhe principal é revelado e esse é o diferencial que constrói o conceito do desfile “Quando elas entram na passarela, você tem o mapeamento da cidade, mas quando elas viram a questão da interferência da cultura e da arte vêm à tona” complementou a aluna.

Imagem

Interferência urbana nas roupas.

 Outra estilista que participou do desfile foi a Grazielle Teixeira (21) que disse ter sido inspirada pelo próprio grafiteiro “Pensei em uma roupa ampla, que ele tivesse espaço para trabalhar”.

Imagem

Grazielle Teixeira com a sua peça (costas).

As estudantes que venceram o concurso e montaram a coleção foram: Aline Balbino, Grazielle Teixeira, Kelly, Mariana Leal e Sophia Wood

Além da coleção, as meninas do curso customizaram suas camisetas da PUC e foram suas próprias modelos na feira.

Imagem

Camisetas customizadas (Helen Castanho, Amanda Mendes, Karol Viana, Elisa Mazocco e Jéssica Isadora).

Segundo dia da quinta LABModa – Semana de Moda de Curitiba

Reportagem: Shao Tsai
Edição e Fotografia: Rodrigo Novack

E foi no domingo também, que Curitiba recebeu a visão futurista da CYBER, que apresentou na passarela uma cartela de cores frias, amenizadas pelo uso de peles faux e sobreposição de tecidos. O nylon e a lycra partilharam da rigidez de outros materiais, que acentuaram o movimento artificial das peças.

A coleção Além das Pérolas da Blue188 ecoou os anos 20 de O Grande Gatsby, repercutindo de maneira contemporânea as flappers. A reinterpretação possuiu staples como franjas e pérolas, incluindo transparências, listras, modelagens retas e o acinturamento.

A alfaiataria da marca Polyana Rosa, de Poliana Montagna, Maicon Machado e Melise Seabra, conferiu à passarela a distinção da moda masculina inspirada nos anos 30 e na Cosa Nostra. As diferentes dimensões representadas em colarinhos e lapelas, o play de peças com volumosidade e os bordados em pérolas elevaram a feminilidade e demarcaram a proposta, que empregou seda e veludo.

Soraya da Piedade, designer angolana, definiu a eminência do feminino por meio da coleção Arabescos. O brocado rococó e a predominância do dourado e verde-água receberam o complemento de renda e voile. A primazia da confecção é refletida nas silhuetas, que fundamentam a coesão entre os vestidos de variados comprimentos, cuja modernidade foi proposta por entre cortes transpassados.

Cetim e renda, predominados por preto e dourado, foram apresentados pelo estudante Anderson Petri. O detalhamento em cristais e pérolas buscou o enriquecimento, enquanto amplitude foi proporcionada por meio de camadas e volume. Uma vez cometido o pecado do acabamento, no entanto, a inspirada coleção resumiu a estética do estilista, que também trouxe à passarela um look masculino.

Runaway, de Suelen Frazzato, inclui preto, dourado e vermelho em sua cartela, elaborada em couro. A rusticidade do material foi refreada na modelagem e criação de peças individuais como tops cropped e saias de cintura alta, cuja leveza foi garantida por transparências, recortes vazados e estampas de arabescos.

Da reciclagem de guarda-chuvas para matéria-prima, Renata Luciana apresentou experimentalismo e conceito. Costuras enviesadas e frisos uniram nylon preto e instâncias de floral em peças minimalistas de impecável confecção. Cabos e ferragens foram convertidos à elementos esculturais, extendendo as dimensões da passarela em conjunto aos looks.

AYO, de Sergio Takahata e Suelen Frazzato, exibiu construção e alfaitaria em looks femininos e masculinos. O tom metalizado do tecido refletivo, preto e branco, foram trabalhados em vestidos camisetão de estilo boyfriend, shorts, tops, camisas e camisetas. Grafismos de padrões geométricos e a incorporação criativa da marca estampavam as peças.

Caroline Gritten demonstrou a confortabilidade da Velvet.Underwear, porém não em desfile; em apresentação performática dos modelos, cujos movimentos de dança definiram o propósito da coleção. A sobriedade de cinza, preto e branco da paleta, em moletons, tecidos aveludados e malhas metalizada, deu base às modelagens de calças e assimetria de botões.

Black Pipe, Cavalo Baio e os Pinho, Stereo 33 e Punkake apresentaram rock curitibano, e quem ecenrrou o evento foi a banda Rentay. Em novembro, o ParkCultural, no ParkShopping Barigui, receberá a próxima edição do LABmoda.

Além das Pérolas

IMG_6493[1]

 

Polyana Rosa

IMG_6507[1]

 

 

Anderson Petry

1010810_480955698655136_301616803_n

 

 

Soraya da Piedade

10370_480960495321323_432780381_n

 

 

Runaway

1044970_480961355321237_1274413539_n

 

 

Renata Luciana

1016659_480966928654013_94339757_n

 

 

Ayo

941138_480970358653670_1335757047_n

 

Velvet.Underwear

1045045_480980795319293_1922629073_n

 

 

 

 

 

 

 

Primeiro dia da quinta LABmoda – Semana de Moda de Curitiba

Reportagem: Shao Tsai
Edição e fotos: Rodrigo Novack

Ao sábado, o LabModa, a fashion week de Curitiba em edição Conceito RG, buscou a construção de identidade como elo entre o público e a moda. Em manifesto à multiplicidade, o evento incluía apresentações multiculturais que enriqueceram a proposta.

O primeiro dia contou com oito desfiles interligados por DJs, bandas e danças, e foi aberto pela estudante Tayna Fajardo de Oliveira, com sua coleção Guerreira Contemporânea. A mostra de estudantes da Universidade Positivo (UP) foi do habitual à teatralidade da evocação do medieval da Pele de Asno, seguida da vivacidade primaveril do Festival Holi – a paleta, a aplicação de pedras e o esmero da elaboração de Marcela de Quadros e Priscilla Cabral acalentaram o clima curitibano.

Sob inspiração indígena africana, a Maasai empregou intricadas técnicas de tricô, crochê e macramé em peças de tonalidade terrosas. O uso de colares, o contraste textural e a sugestão de efeminação ilustraram o contemporâneo e a fusão étnica.

Unmistakable Presence, da marca Jules da canadense Julianne Nicholson, foi conduzida por equilíbrio de tecidos, cores e metais; a contida estampa barroca enobreceu a coleção, cuja pièce de résistance, foi um casaco bicolor de lã.

O desfile de joias da W. Ritzdorf, da família Winckler, proporcionou peças robustas e arrojadas de ourivesaria artesanal. Madeira maciça, ouro, prata e pedras figuraram num espectro de formas e tamanhos que reproduzem uma rusticidade com finesse. Fernanda Winckler, designer, introduziu duas bolsas, que apesar do papel coadjuvante, destacaram-se pelos tamanhos, materiais e ousadia.

As culturas religiosas deram vazão à Reverenda. Adereços de cabeça consagraram a faceta conceitual do desfile, em que camisetas estampadas que remetiam ao budismo e hinduísmo faziam conjunto com shorts sobre uma minimalista paleta de beges, dourados e pretos metalizados.

Vinicius Cocchieri trouxe formandas ao LABmoda com a fluidez de vestidos longos da Cocch. A aplicação de cristais, metais, paetês e pérolas no detalhamento das peças criou coesão no desfile, iniciado por vibrantes amarelos, passando para verdes e turquesas. A renda aplicada, a justaposição de tecidos, evidenciam o cuidado da grife, enquanto a sofisticação esteve em destaque na finalização. O último look, de cintura marcada e bordados no corpete, encerrou o primeiro dia de desfiles.

Mulher Contemporânea

ImageImage

Image

Pele de Asno

Image

Image

 

 

Festoval HoliImage

Image

Image

 

Unmistakable Presence

Image

Image

 

Cocch

Image

Image

 

Velvet.Underwear desfila na Semana Acadêmica de Design da UTPFR

Reportagem: Bruna Morais
Edição e Fotografia: Rodrigo Novack

Na última quinta-feira (27/06) a marca Velvet.Underwear apresentou na Semana Acadêmica de Design da Universidade Tecnológica do Paraná (UTFPR) peças da coleção anterior e também um preview da sua nova coleção de inverno, denominada Origem.
A estilista Carolina Gritten baseou-se no conforto e na modernidade para desenvolver as peças com cores tipicamente curitibanas, como o preto, branco e cinza. A marca trouxe calças de moletom com design único, camisas brancas com leve transparência, golas folgadas e tecidos leves, todos seguindo o estilo clean.
Além da coleção de inverno, o desfile contou também com algumas peças que identificam a marca, como, por exemplo, blusões, camisas de corte reto e cuecas com duas cores. O desfile da Velvet na quinta à noite foi uma prévia da coleção que será apresentada na Semana de Moda de Curitiba que começa no próximo sábado dia 29.
No pátio central da universidade estavam também em exposição trabalhos da estilista Renata Luciana, que usa materiais de guarda-chuvas, como capas e o tecido impermeável para confeccionar peças, que vão de vestidos, camisas, saias até à calções.

IMG_5725[1]

IMG_5721[1]

IMG_5753[1]

IMG_feliz