Versos Urbanos – Cyntia Fontanella

O segundo desfile da noite foi da grife Cyntia Fontanella, a especialidade são os vestidos de festa.

A inspiração dessa coleção “Versos Urbanos” vem de José de Alencar, o intuito era unir sensualidade e romantismo.

Os vestidos da grife são o sonho de qualquer aspirante a princesa. Pérolas, tules, aplicações, renda e transparências são as marcas dos vestidos de luxo.

As cores eram claras, girando em tons pastéis e dourado.

A sensualidade da marca ficou por conta das transparências.

Anúncios

O Apocalipse de Lady Louca

O dia 28 começou muito bem com o desfile de marca Lady Louca, o nome da coleção Verão 2013 é “O Fim do Mundo no Calendário Maia, 12-12-2012”.

Para a grife, o fim do mundo não significa a extinção da humanidade e sim um recomeço. Um novo pensamento, comportamento e forma de ver o mundo a volta.

As cores eram escuras, o preto e o branco eram a base das peças. E nos tecidos,        estampas que remetiam a sujeira, feitas pela própria Michelle Cândido, estilista da marca.

A cintura alta foi registrada em várias saias, e nos vestidos cintos se encarregavam de dar esse toque de feminilidade.

 

Os shorts também eram de cintura alta, com traços de alfaiataria.

O jeans foi apresentado com aparência gasta e com descoloração.

Vestidos com transparência e ar dos anos 60 também apareceram.

Michelle Cândido apresentou com Lady Louca uma mulher guerreira, que continua firme mesmo com as mudanças ao seu redor, acabando ou não o mundo.

 

Recco e Carlos Machado

Renata Prestes e Manines Dantas estrearam sua grife beachwear Recco nessa edição do Paraná Business.

E para começar com o pé direito o ator Global (plim-plim) Carlos Machado, que atuou com a personagem Ferdinand na novela Fina Estampa, desfilou, mandou beijos, deu tchauzinhos, e logicamente arrancou suspiros…

A coleção se inspirava no mar, durante todo o desfile o telão apresentava imagens com peixes, ondas…

As peças são bem estruturadas, com costura detalhada, apresentando belas estampas.

Alguns tecidos metalizados trouxeram um ar mais glamouroso para a coleção.

Nas saídas de praia e vestidos predominaram o azul e o branco.

Muitas estampas!

No início e no fim do desfiles fomos presenteados pela inigualável voz de Elis Regina, cantando trem azul.

Ficamos esperando mais novidades da estreante Recco para enfrentarmos o Sol na cabeça durante os próximos verões…

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Banksy – All Purpose

A All Purpose apresentou uma coleção inspirada por Bansky, grafiteiro, pintor,  diretor de cinema inglês.

Banksy trabalhava com grafiti e estêncil, suas criações são conhecidas em todo o mundo. Scharlles Ghizoni e Julio K, estilitas responsáveis pela marca,  utilizaram essa ideia urbana para apresentar variações de coletes e composições.

Os trabalhos de Banksy são carregados de tom político, contra dominação e poder, o símbolo do anarquismo é encontrado em diversas de suas interferências nas ruas de Bristol, em Londres.

O tom é urbano, e xadrez e jeans não ficaram de fora.

Vimos também um pouco de alfaiataria.

 

 

 

 

 

 

Os ombros das peças femininas eram estruturados.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Coletes apareceram de vários comprimentos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os modelos da All Purpose usavam coturnos pretos e até mesmo feitos de jeans, assim como também boinas estilo militar, na finalização parecíamos ver um exército, de rebeldes como Banksy gostaria.

 

Dessa vez, utilizamos fotos da assessoria do PBC.

Clara Nunes na passarela

Fábio Bartz abriu os desfiles do dia 17 com inspiração em Clara Nunes, cantora brasileira que foi considerada uma das maiores intérpretes nacionais.

A intenção do estilista era pensar em como seria Clara na realidade atual, a abertura ficou por conta de sua voz marcante entoando “Guerreira”.

“Se vocês querem saber quem eu sou
Eu sou a tal mineira
Filha de Angola, de Ketu e Nagô
Não sou de brincadeira
Canto pelos sete cantos
Não temo quebrantos
Porque eu sou guerreira
Dentro do samba eu nasci,
Me criei, me converti
E ninguém vai tombar a minha bandeira”

 

 

 

 

As cores eram claras e leves, aplicações sobre os tecidos foram uma marca dessa coleção Verão.

Os bordados eram manuais, os tons de cores variavam de rosas, nude, verdes e muito branco.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

As rendas estavam por toda parte, nas barras de saias, blusas, por baixo das transparências…

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A estampa digital tinha como tema conchas, assim como a maioria dos acessórios.



Os comprimentos variaram,vestidos curtos como o acima, como também até os pés.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Se vocês querem saber quem é Clara Nunes, um bom começo é conhecendo essa coleção.